Publicado em 04.06.2019 às 09:16

Cooperativismo que transforma

Mais de R$ 1,5 milhão destinados, neste ano, a 225 projetos nas áreas de educação, cultura e esporte inclusivo de 21 municípios do Vale do Sinos, região das Hortênsias e Caxias do Sul. Com o propósito de transformar as comunidades, a Sicredi Pioneira RS vem fazendo a diferença na vida de muitas pessoas. Desde 2015, quando foi instituído o Fundo Social, já foram repassados mais de R$3,8 milhões para 895 projetos sociais.

“O Fundo Social começou pequeno, comum repasse de 0,5% dos resultados da cooperativa na primeira edição.Hoje, já contabiliza 2% do resultado líquido de 2018, repassados pelos próprios associados em assembleia. Isolados, esses valores podem parecer pequenos. Mas, reunidos em um Fundo e empregados nas comunidades, os investimentos comprovam a essência do cooperativismo”, salienta Mário Konzen, vice-presidente da Sicredi Pioneira e um dos idealizadores do programa.

Por meio do programa, entidades podem ter suas iniciativas 100%financiadas, sendo o valor mínimo de R$ 2mil e o máximo de R$ 12 mil, com um limite de até dois repasses por instituição. Os recursos podem ser destinados para ampliações de bibliotecas, compra de mobiliário, aquisição de equipamentos, contratação de instrutores, ações voltadas para o meio ambiente e inclusão social. Mas não pode ser utilizado para custear eventos ou em forma de patrocínios.

APOIO PARA IR EM FRENTE

Casos como o do Coral Show Luizinho, de Novo Hamburgo, que com o apoio do Fundo Social, pôde manter as atividade se atrair mais alunos por meio da aquisição de figurinos, modernização da estrutura, conserto do palco e troca das portas internas. Ações que resolveram problemas cruciais para o funcionamento da entidade.

“Com a ajuda do Fundo Social, conseguimos focar na qualidade do nosso show. O esforço dos voluntários já não começa do zero e podemos nos dedicar para a boa e necessária manutenção do grupo. Diante de melhores resultados, mais crianças, jovens e adolescentes ingressaram no grupo”, diz Sônia Trajano, presidente do Coral.


Mais de 305 histórias impactadas pelo programa

O Fundo Social é a forma de materializar o propósito da cooperativa, que é o de ajudar a construir comunidades melhores. “São mais de 305 mil pessoas impactadas. Para nós, elas não são apenas números, mas histórias importantes”, destaca o presidente da Sicredi Pioneira RS, Tiago Luiz Schmidt, ao observar que são muitos os depoimentos sobre como os alunos têm valorizado o ambiente escolar a partir dos projetos financiados pelo Fundo Social. Da mesma forma, a comunidade tem participado dos programas e se motivado por meio das oficinas.

“Uma cooperativa de crédito, assim como qualquer outra organização empresarial, trabalha para obter resultados que, no nosso caso, nos dão condições de deixar um mundo melhor para os nossos filhos”, garante Schmidt, reforçando que números expressivos como os do Fundo Social só têm sentido devido ao impacto que causam nas pessoas beneficiadas pelo programa.

COMO PARTICIPAR

Em 2020, a inscrição para o Fundo Social, que ocorre anualmente, no primeiro semestre, será entre janeiro e março.

- Para participar, a entidade deve atender a alguns requisitos: ter finalidade educacional, cultural, social, esportiva ou assistencial expressa no estatuto interno; ser uma pessoa jurídica sem fins lucrativos, associada à Sicredi Pioneira RS até o dia 31 de dezembro do ano anterior; estar com o cadastro da conta atualizado e em dia com a cooperativa.

- Ao cadastrar-se, a entidade deve informar se o projeto já existe ou não; se possui patrocinadores ou apoiadores; especificar com números e dados os resultados esperados; a data de início e término; além do valor solicitado e o orçamento.

- Após esta primeira etapa, uma comissão formada pela gerência de relacionamento da cooperativa faz a análise das inscrições conforme o regulamento.

- Os projetos aprovados seguem para a fase de seleção na qual são analisados pelos coordenadores de núcleo das agências que analisam, emitem seu parecer e definem o valor que será repassado com base em três critérios: clareza, viabilidade das ações e capacidade de execução da instituição.

Acesse:

www.isl2024.org.br

www.brasilalemanha.com.br